SSP contesta dados de pesquisa que coloca cidades baianas entre as mais violentas do Brasil

Órgão afirmou que “desconhece a metodologia utilizada pelo Atlas da Violência publicado esta semana".

Foto: Divulgação

A Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) criticou os resultados da pesquisa divulgada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), que colocou cinco cidades baianas entre as mais violentas do Brasil. As informações são do Varela Notícias.

Nesta segunda-feira (5), o órgão afirmou que “desconhece a metodologia utilizada pelo Atlas da Violência publicado esta semana, já que os dados apresentados pela pesquisa não condizem com números registrados”.

Ainda segundo a Secretaria, “diferente do divulgado, em Salvador, foram contabilizados 1.346 casos de homicídio no ano de 2017, menos 530 casos. Também há discrepância nos números apresentados pela pesquisa sobre os municípios de Simões Filho, Porto Seguro e Lauro de Freitas. Essas e as demais estatísticas criminais estão disponíveis no site da instituição”, afirma.

A SSP ainda informa que “a redução dos crimes violentos letais intencionais na Bahia ocorre desde 2017, com destaque para 2018 com o menor número dos últimos seis anos, e segue em declínio até o primeiro semestre de 2019”.

A pesquisa, divulgada nesta segunda, colocou a cidade de Maracanaú, no Ceará, como a mais violenta do país. Entre as cidades baianas aparecem Salvador, Porto Seguro, Simões Filho, Lauro de Freitas, Camaçari e Eunápolis.

1 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*