Suicídio: após fala polêmica em vídeo, influenciador digital se defende em rede social

Carlinhos Maia (Foto: Reprodução)

O influenciador digital, Carlinhos Maia, utilizou sua conta no Instagram para falar sobre a repercussão da polêmica que envolve a questão de que ele teria estimulado o ato de suicídio. Em sua defesa, Carlinhos relatou que o vídeo circulado na web foi editado por um ‘grupo’ de seguidores que querem provocar contendas à seu respeito.

O influenciador frisou que, em momento algum, estava incitando ninguém a nada.

“Fui dormir completamente despido de qualquer culpa. Vou postar o vídeo completo, porque passaram só um pedacinho. Em momento nenhum eu estava incitando nada. O assunto não era depressão, era gente que quer desistir na primeira pancada e cobiça o que é do outro. Eu estava falando de um todo, de quando as pessoas mal começam a vida e levam um tombo. Não quem tem distúrbios psicológicos”, explicou.

Na parte do vídeo que viralizou nas redes Carlinhos fazia o seguinte comentário: “eu vejo meninos de 16 anos me mandando ‘eu quero me matar’. Vai imbecil, vai se matar porque você nem começou a vida ainda (…). Venha perguntar a uma mulher de 75 anos, que até hoje trabalha, sustenta os netos, que até hoje está varrendo o quintal, que está catando latinha na rua para sustentar os bisnetos, venha perguntar se ela se matou com 16 anos. Eu não sei os seus motivos, mas sei os delas”.

No entanto, essa não é a primeira vez que Maia se envolve em uma polêmica na web e é duramente criticado. Em julho, Carlinhos foi amplamente reprovado após filmar um morador de rua nos Estados Unidos (EUA) e dizer que ele parecia um ator. Em maio, ele desativou seu perfil no Instagram depois de uma intensa troca de farpas com o também influenciador digital, Whindersson Nunes.

Setembro Amarelo

A polêmica se instaura exatamente no mês dedicado a conscientização sobre a prevenção do suicídio. A campanha Setembro Amarelo, criada em 2015 pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), promove ações em diferentes esferas sociais, que buscam promover a saúde mental e dar destaque a centros que oferecem ajuda a quem precisa.

No Brasil, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) o suicídio é a segunda principal causa de morte entre jovens com idade entre 15 e 29 anos. Os mesmos dados apontam que aproximadamente 800 mil pessoas tiram a própria vida no mundo, a cada ano.

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*