O vereador Oziel (PSDB), presidente da Câmara Municipal de Camaçari, afirmou, em entrevista ao programa Bahia no Ar nesta quinta-feira (08), que a notícia sobre a denúncia feita pelo Ministério Público, na qual o aponta como autor de “manobra fraudulenta” e solicita sua prisão preventiva, foi uma completa surpresa.

“Sempre me coloquei à disposição. Nunca tive dificuldade de dialogar com o Ministério Público. Nada do que foi colocado ocorreu e estou tendo conhecimento dessa denúncia agora”, disse, acrescentando que não acredita que a Justiça acate o pedido de prisão preventiva feito pelo promotor Everardo Yunes.

“Quem decide sobre a prisão é o judiciário baiano. Eu não serei preso, tenho plena consciência de que não cometemos crime e confio na Justiça”, declarou, demonstrando otimismo e salientando que, em sua opinião, é possível que a denúncia tenha motivação política, embora tenha tido o cuidado de não atribuir essa parcialidade ao Ministério Público. “O MP tem que fazer seu trabalho”, ressaltou.

Acusações – As denúncias são baseadas em provas documentais, a exemplo do próprio Diário Oficial de Camaçari, que mostra que houve demissão de servidores e contratação dos mesmo na mesma data e pelos mesmos gabinetes, mas com salários maiores, demonstrando uma tentativa de burlar a orientação da Justiça, de pausar a concessão de reajustes naquela referida situação. Depoimentos de funcionários afirmando que devolvem parte dos subsídios para os vereadores também corroboram com a versão do MP.

Leia também:

MP pede prisão preventiva do presidente da Câmara de Vereadores de Camaçari

“Prisão preventiva é para evitar que ele cometa novos crimes”, diz promotor sobre Oziel

0 0 voto
Article Rating