Foi ajuizada nesta sexta-feira (26), pela Associação Metropolitana dos Taxistas (AMT), uma ação civil pública contra o aplicativo Uber. O objetivo é proibir o funcionamento do aplicativo na Bahia, sob multa diária R$ 100 mil.

Segundo informações do Correio, além do valor, a classe também pede a condenação e indenização por perdas e danos materiais e também danos morais. “Essa ação visa garantir os direitos do transporte por táxi previstos em lei”, explica o presidente da AMT, Valdeilson Miguel.

Os taxistas pretendem agendar ainda uma carreata até a Justiça Estadual para explicar as dificuldades encontradas pela classe, logo após o recebimento da Ação Civil pela Justiça Estadual. Na última terça-feira (23), os taxistas saíram em carreata pela cidade contra o Uber. Eles usaram suas buzinas e apitos para chamar a atenção por onde passam.

taxi

0 0 voto
Article Rating