“Temos de ser solidários”, foi assim que o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, começou sua defesa em relação a medida de atuação solidária do Brasil com os países vizinhos no que diz respeito às estratégias adotadas para um eventual combate ao novo coronavírus.

Mandetta citou dificuldades enfrentadas pelo Paraguai mas, em sua análise, o país que requer mais atenção é a Venezuela. Porém, destacou que com o auxílio da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) será possível avançar nos trabalhos de vigilância e monitoramento.

“Temos de ser solidários. O Paraguai, por exemplo, tem muita dificuldade com a parte laboratorial. Nós autorizamos que as amostras de seus pacientes suspeitos sejam rodadas aqui. Argentina e Uruguai têm uma boa estrutura. Nos preocupamos com a Venezuela por conta do desmanche do sistema de saúde deles, que resultou em casos de difteria e sarampo, e que faz fronteira com Roraima, um estado com estrutura de saúde menor e mais frágil’, pontuou o ministro.

0 0 voto
Article Rating