Uso de Fundo da Lava Jato para Amazônia é defendido por Dodge

raque-dodge
Raquel Dodge, procuradora-geral da República. (Foto: Reprodução)

O uso de 1,2 bilhão dos recursos do Fundo da Lava Jato para combater às queimadas na Amazônia foi defendido pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge. A manifestação, inclusive, já foi enviada ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Totalizando, os recursos da operação chegam a cerca de R$ 2,5 bilhões, mas parou na Suprema Corte em março, após a Procuradoria questionar o acordo fechado entre a Petrobras e a força-tarefa da Lava Jato do Paraná.

O ministro Alexandre de Moraes resolveu suspender o acerto que tinha como um dos compromissos a criação de uma fundação para gerir parte da multa.

O objetivo de Dodge é que a outra parte da verba do Fundo, correspondente à R$ 1,3 bilhão, seja direcionada à área da educação, com foco em educação, tecnologia e primeira infância.

O valor de R$ 1,2 bilhão seria enviado ao Ministério do Meio Ambiente para auxiliar na proteção da região amazônica.

1 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*