“Vai ter um acordo, mas do jeito que a gente quer”, dispara Andrés Sanchez sobre dívida do Corinthians com a Caixa

O clube alega que tinha um acordo com a antiga gestão do banco

Arena Corinthians foi colocada no Serasa pelo não pagamento da dívida com a Caixa Econômica Federal. Sobre o assunto, o presidente do clube, Andrés Sanchez afirmou que o impasse com o banco estatal será resolvido na Justiça e que um novo acordo será feito, mas de acordo com as condições impostas pelo clube do Parque São Jorge, não da instituição financeira.

“Vai ter um acordo, mas do jeito que a gente quer”, cravou Andrés, não dando mais detalhes sobre o assunto.

Logo após a derrota, por 2 a 0, para o Independiente Del Valle pelo primeiro jogo da semifinal da Copa Sul-Americana, o cartola do Corinthians foi questionado sobre a cobrança de R$ 48 milhões feita pela Caixa referente aos pagamentos deste ano pelo empréstimo de R$ 400 milhões para a construção do estádio em Itaquera e deu a versão do clube sobre o caso.

“Infelizmente, quando acontece uma coisa dessa vem um monte de coisa atrás. Todos os clubes e todas as empresas do Brasil têm processos. Isso faz parte. A parte da Caixa está no jurídico e vamos esperar que isso se resolva” explicou Andrés Sanchez na saída da Arena Corinthians.

O clube alega que tinha um acordo com a antiga gestão do banco e que pagava R$ 5,7 milhões entre os meses de março e outubro. De novembro a fevereiro – meses com menos jogos – os pagamentos eram de R$ 2,5 milhões. Ainda de acordo com o presidente do Corinthians, o clube devia duas parcelas neste formato e o banco estava ciente do atraso por conta da realização da Copa América, nos meses de junho e julho.

Contudo, a Caixa Econômica Federal acionou o Corinthians e executou a dívida milionária. O banco ainda não negociou um novo acordo com o Timão para tentar resolver o impasse. Mesmo assim, pelo menos segundo o presidente do Alvinegro, um novo negócio deve ser costurado, mas de acordo com as imposições colocadas pelo clube do Parque São Jorge.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*