Durante o anúncio da prefeitura de Camaçari sobre a prorrogação das medidas restritivas em combate ao novo coronavírus (Covid-19) na cidade, o que inclui a permanência do comércio fechado, o Bahia No Ar também ouviu representantes locais da categoria.

O presidente da Associação Comercial de Camaçari, Luciano Sacramento, por exemplo, destacou os dados apresentados pela gestão municipal, no que diz respeito ao crescimento de casos confirmados da doença.

“A gente não deve ir de contra aos números. Números são números, eu estudei, frequentei escolas, faculdade, e sei que números são números. A apresentação que nós tivemos aqui, nessa tarde, foi uma imagem do que está acontecendo no município, que poucos conhecem e não sabiam do que estava acontecendo”, frisa.

Em seguida, ele ressalta a expectativa pelo protocolo que será apresentado, em breve, pelo Governo do Estado da Bahia; o documento deverá atuar em consonância com os municípios baianos para auxiliar na retomada econômica de cada região.

“Hoje, pela manhã, nós fomos surpreendidos pelo Governo do Estado com a informação de um estudo maior, com um projeto de flexibilização. Então, juntando essas duas ações, que a gente teve hoje conhecimento, mais do que justo concordar com a espera de mais um pouco dessa abertura, abertura que eu digo total, porque algumas coisas funcionam […] Estamos lidando com vidas, vidas não se recuperam, a economia se recupera, em determinados momentos as coisas podem estar mais complicadas para uns ou para outros, mas com certeza ela é a mais indicada para o momento. E nós, como empresários, como cidadãos de Camaçari, como pessoas que vivemos aqui há muito tempo, temos que concordar com o que a gente debateu hoje aqui, por unanimidade, todas as pessoas têm o mesmo pensamento”, estendeu Luciano.

Na oportunidade, a representante do Sindicato do Comércio Patronal de Camaçari e Região (Sicomércio Camaçari), Juranildes Araújo, frisou o consenso das autoridades, dos órgãos, entidades e de todos os envolvidos nessa tomada de decisão.

“São duas preocupações juntas: uma, é com a saúde, a gente observa que o número de confirmações em Camaçari está aumentando muito; e a outra, é a questão do comércio fechado, com as pessoas precisando trabalhar, precisando vender, precisando pagar suas contas, passando dificuldades, então, você fica com essa agonia. A gente sabe que houve um consenso aqui, da Polícia Militar, do Ministério Público, da Delegacia, da presidência da Câmara, não foi uma postura só do prefeito [Elinaldo Araújo], foi de todos os grupos, inclusive, a associação comercial, sindicato, SDL, todas as instituições. Então, foi um consenso, não foi dizer que foi o prefeito que definiu”, opina.

“Vamos aguardar sair o protocolo do Governo do Estado, que é pra a gente observar se vai reabrir antes ou depois desses quinze [15] dias”, acrescentou.

Por fim, após ser questionada qual a mensagem que gostaria de deixar para os comerciantes da cidade, Juranildes respondeu: “Que eles aguardem, que vai sair um protocolo do Governo do Estado, e dependendo da área, se tiver vermelho, azul ou amarela, vai sendo liberado por área. Mas, no momento, é o que a gente tem que fazer, esperar o protocolo geral”, aconselhou.

Casos em Camaçari

Conforme o boletim divulgado pela prefeitura, nesta terça-feira (30), Camaçari já soma 1.331 casos confirmados da Covid-19: destes, 786 pessoas já estão recuperadas, 501 casos seguem ativos e 44 pacientes foram a óbito.

0 0 voto
Article Rating