‘Vocês estão olhando pra custo, isso é um absurdo’, diz ouvinte ao denunciar a Coelba

Foto: Reprodução

Na manhã desta quinta-feira (26) um ouvinte, que se identificou como Edílson Barros, ligou para o programa Bahia No Ar (Rádio Sucesso 93.1) para fazer uma denúncia contra a Coelba (Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia). Segundo o homem, ele é morador de Bom Jesus da Serra, município que fica situado a cerca de 100 km de Vitória da Conquista, sudoeste da Bahia.

De acordo com Edílson, aproximadamente nove famílias estão correndo risco, devido a uma rede de eletricidade que passa por cima das casas onde residem essas pessoas.

“Eu queria fazer um apelo aqui, pelo portal de notícias Bahia No Ar, a respeito da Coelba. Nós estamos com uma situação aqui, em Bom Jesus da Serra, uma situação de risco, onde existe uma rede antiga. Na época em que foi feito, a Coelba entrava em qualquer propridade onde os engenheiros, os topógrafos achavam que era por ali que devia passar a rede e ponto final, e passava. Hoje, essa área se tornou urbana, e temos nove moradias, nove famílias em situação de risco, nove familías com uma rede de treze ponto oito passando por cima de suas casas. Há um certo tempo, uns três a quatro meses, apareceu um técnico da Coelba, fez um projeto e desapareceu”, explica Edílson.

Ele destaca que, ao entrar em contato com a companhia, eles alegam que o problema ainda não foi solucionado devido aos altos custos.

“Quando a gente liga pra ver, buscar alguma solução, eles alegam, simplesmente alegam, que trata-se de relocação de postes e que o custo é um pouco alto pra Coelba. Então, eu queria pedir à esses gestores que tomassem mais uma providência, que a relocação de três postes, a gente sabe que pra relocar três postes, em comparação a vida, não tem custo nenhum. Quando se tem vidas em risco, gestores, veja bem, quando se tem uma vida em risco, se for pra relocar cinquenta postes, não existe custo, não existe empresa olhar pra custo, entendam isso. Aí, vocês dizem que o custo é alto pra relocar três postes, e a hora que um fio desse vier a partir sobre a moradia com crianças e idosos, qual será o custo? Se vocês tiverem alguma resposta, me responda, qual será o custo? Entendeu? Agora, Coelba e gestores, vocês são uma empresa que pregam muito, zelam muito pela vida dos colaboradores, vocês têm punição, tudo é em cima da punição, tem tantas e outras punições aí, vocês não aceitam, um acidente pra vocês hoje, um acidente de um terceirizado pra vocês hoje rompe um contrato, eu sou conhecedor disso”, desabafa.

“Você deita pra dormir não tem certeza se amanhã você acorda, se você levanta, entendeu? Você não sabe a hora, a gente não tem aqui um rastreador, ninguém tem aqui um monitoramento pra saber a hora que um cabo desse venha partir em cima de nossas moradias, entendeu? Você levanta à noite pra ir ao banheiro, as crianças levantam à noite pra ir ao banheiro, um idoso, você não sabe a situação que vai tá lá no seu quintal, se vai ter um cabo partido lá, energizado ou não. Então, eu queria que vocês realmente tivessem um pouco, um pouco de amor pelo próximo, eu tenho certeza que se fosse em seus apartamentos, se fosse em seus logradouros vocês já teria tomado providência. Mas não, é a vida dos outros que tá em risco, vocês não tão nem aí, vocês estão olhando pra custo, isso é um absurdo pra empresa que tanto fatura, uma empresa que tanto zela pela segurança e deixa os outros ao abandono, isso é um grande descaso”, acrescenta.

Por fim, o ouvinte afirma que, caso não seja exposta uma solução por parte da empresa, a comunidade vai recorrer à Justiça.

“Então, aguardamos uma posição de vocês, aguardamos uma providência. E se nada acontecer, não vai parar por aqui não. A gente vai prosseguir, a gente vai dar continuidade, vamos entar com uma ação, vamos procurar qualquer órgao competente que venha nos ajudar nessa questã, finda”.

Assista o vídeo enviado por Edílson Barros ao BNA:

2 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*