Inelegível, consequentemente impossibilitado de disputar o pleito deste ano, o petista montou uma verdadeira estratégia para voltar ao poder. Primeiro, lançando o nome de sua esposa, Ivoneide Caetano, na disputa pela prefeitura. Mas não é só isso, Caetano pensa também em derrotar os “companheiros” que disputam uma vaga no legislativo.

Caetano não quer a reeleição de Téo Ribeiro, vereador de 5 mandatos, mas considerado indisciplinado, e para isso, incentivou a candidatura a vereador de Tagner Cerqueira, dividindo a base de Téo. Tagner, com apoio de Caetano, já tomou 8 lideranças de Téo Ribeiro.

Caetano também não quer a reeleição do vereador José Marcelino. Motivo: Marcelino é liderado de Nelson Pelegrino. Neste sentido, Caetano montou também uma estratégia para derrotar Marcelino, parecida com a adotada para derrotar Téo Ribeiro. Minou a base do “negão”, como é carinhosamente chamado, incentivando a candidatura do jovem Kaique Ara, ex- assessor de Marcelino.

“O estrategista” Caetano quer eleger Ivoneide, porque acha que vai mandar na prefeitura em caso de vitória de sua esposa, mas quer também uma câmara de vereadores “caetanista” com Soledade Caetano, Tagner Cerqueira e Gabriela Mendes, considerados seus novos pupilos.

3.7 3 votos
Article Rating