Coronavírus: Fórmula 1 adia GP da China por conta de epidemia

Nova data ainda será definida pela organização. Uma das principais possibilidades é que o GP da China seja realizada após a prova de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes.

A FIA confirmou nesta quarta-feira, 12,  que o GP da China de Fórmula 1, programado para 19 de abril, será adiado por conta da epidemia de coronavírus no país. Ainda sem uma data programada, a expectativa é que a prova de Xangai seja remanejada para próximo do fim da temporada.

De acordo com o G1, a troca da prova chinesa por outra no calendário já havia sido descartada por Ross Brawn, diretor esportivo da Fórmula 1, assim como a inclusão de outro país/circuito na data reservada para a corrida em Xangai. Por isso, a decisão foi por adiar a prova e preservar público, pilotos e funcionários das equipes, dando mais tempo até que o problema na China seja resolvido.

– O GP da China em 2020 foi adiado devido ao novo surto de coronavírus. Tendo em vista a contínua disseminação do coronavírus e após discussões com a Federação Chinesa de Automóveis e Motocicletas (CAMF), a Administração de Esportes de Xangai e a Juss Sports Group, promotora do Grand Prix, solicitou oficialmente o adiamento da prova. A FIA, junto com a F1, decidiu aceitar o pedido – afirma a nota da FIA, publicada nas redes sociais da entidade.

A decisão antecipada é explicada pelo desafio logístico da Fórmula 1 em levar seus equipamentos e combustível para a China pois o transporte é feito por navio. Para que tudo chegue ao país a tempo da prova em abril, há duas janelas de envio das cargas, que seriam já nesta semana.

A nova data ainda será definida pela organização. Uma das principais possibilidades é que o GP da China seja realizada após a prova de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, disputada em 29 de novembro. No entanto, essa decisão ganha resistência dos pilotos, que precisariam estender a temporada por, no mínimo, mais uma semana.

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*