O Departamento de Polícia Técnica (DPT) da Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) apresentou nesta sexta-feira (14) as justificativas para refutar as informações divulgadas na última quinta-feira (13) pela revista Veja sobre a operação que culminou na morte do miliciano Adriano de Nóbrega, no último domingo (9), em Esplanada, no Litoral Norte e Agreste baiano.

Diretor do Instituto Médico Legal Nina Rodrigues (IML), o perito Mário Câmara se pronunciou ao lado do perito médico que fez a perícia, Alexandre Silva, que apresentou detalhes técnicos sobre o processo de análise.

Câmara, por sua vez, rebateu diversos pontos apresentados pela Veja na reportagem. O legista garantiu que não há sinais de execução encontrados. “Nós da perícia não especulamos. No laudo pericial, o perito médico legista responsável não encontrou sinais que confirmassem execução. Os sinais que nós encontramos confirmam, sim, um confronto policial, afirmou, em entrevista coletiva.

0 0 voto
Article Rating