Problemas Renais têm maior incidência nos meses de calor

Saiba como se prevenir

Foto: UOL

Durante períodos de maior calor há um aumento do número de casos em atendimentos em pronto socorros. A questão é mundial e ocorre porque, com o calor, as pessoas desidratam, tomam mais água, e então os cálculos se movimentam no organismo, trazendo dor e se revelando.

Os cálculos ou pedras das vias urinárias acometem cerca de 15% da população mundial. Ocorrem mais comumente em países quentes, como o Brasil, e com a chegada do verão o número de visitas em unidades de pronto atendimento aumenta em cerca de 20 a 30%. A falta de hidratação adequada é um fator complicador.

Formados nos rins, os cálculos renais são formações sólidas de sais minerais e outras substâncias que se cristalizam. Também chamados de litíase urinária, nefrolitíase ou urolitíase. Vários são os fatores envolvidos na formação de cálculos urinários. Predisposição genética e influências ambientais, como o calor excessivo, são levadas em consideração.

As alterações metabólicas, como a excreção excessiva de cálcio, ácido úrico e oxalato, ou reduzida de citrato e magnésio na urina, são responsáveis pela formação dos cálculos urinários.

Infecção urinária também está relacionada com a formação de alguns tipos de cálculos urinários. Alguns medicamentos, como Indinavir e Topiramato, também aumentam as chances de formação de cálculos urinários.

No geral os cálculos renais causam dor quando saem do rim e descem na direção da bexiga, por um órgão estreito e longo chamado ureter. Lá, mesmo que milimétricos, os cálculos podem obstruir o rim, impedindo a passagem da urina, causando dilatação do sistema urinário, originando a crise de dor.

Em crise, as pessoas podem apresentar sangue na urina e dor lombar muito forte, a chamada cólica renal. Outros sintomas comuns são dor na uretra ou aumento no número de micções, além de  náuseas, vômitos, dor abdominal, anorexia e mal estar, por vezes , acompanhado de febre, fator de pior gravidade.

Beber água em abundância , diminuir a quantidade de sal e proteína da dieta são as grandes ações preventivas.

Para quem já teve um episódio de cólica renal, a chance de ter novamente nos próximos 10 anos é de 50%.

Hoje o principal procedimento são as cirurgias em cálculos renais feitas com laser, minimamente invasiva, e realizada por meio da uretra, sem cortes e com muita redução de dor.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*