Startup de Curitiba cria app para reposição de prateleiras de supermercado

Coca-Cola, Ambev e Philip Morris já estão entre os clientes

Repositora da Anthor: startup agiliza reposição de produtos nos supermercados. Foto: Divulgação

A proposta é da startup Anthor e funciona da seguinte forma: empresas interessadas no serviço de reposição se cadastram com a startup. Do outro lado, pessoas interessadas em realizar o serviço baixam o aplicativo. A partir daí, as tarefas aparecem para os repositores, que ganham entre R$ 10,00 e R$ 60,00 reais para realizá-las.

Em geral o trabalho de reposição de gôndolas é feito pelas marcas. A empresa paga funcionários para irem de loja em loja, pegar seu produto no estoque, e repor na prateleira ao alcance do consumidor. Mas esse modelo não funciona bem nem para o repositor nem para a empresa, pois boa parte do tempo de trabalho desse funcionário é gasto no trajeto entre uma loja e outra.

A solução da Anthor é transformar cada reposição necessária em uma tarefa, que pode ser realizada por qualquer pessoa cadastrada no aplicativo. O repositor realiza as tarefas na região de sua preferência, sem grandes deslocamentos, e pode atender mais de uma marca ao mesmo tempo.

Para realizar o serviço o repositor deve baixar o app, comprar uma camiseta de identificação, passar por um treinamento online e pagar uma mensalidade de R$ 1,99 para usar o app. A renda de um repositor Anthor pode chegar a 3 mil reais mensais, segundo a empresa e o profissional trabalha nos horários que preferir.

A cada missão aceita, o repositor recebe um seguro que cobre de duas horas antes a duas horas depois da realização do serviço. O objetivo é dar uma segurança em casos de acidentes no trajeto ou durante o trabalho.

Ao chegar ao local da tarefa o repositor tira uma foto da prateleira antes da reposição e outra depois. As informações de cada reposição alimentam um algoritmo da Anthor, que calcula quando aquele ponto precisará de uma nova visita. Com isso, a expectativa é de redução das vendas perdidas por falta de produto na prateleira.

A startup começou a desenvolver o aplicativo em 2018. Hoje já tem 120 empresas clientes, dentre elas Coca-Cola, Ambev e Philip Morris. As empresas pagam uma taxa a cada tarefa realizada pelo aplicativo.

Já são 16 mil repositores cadastrados e 900 lojas atendidas, incluindo unidades de redes como Big e Lojas Americanas. O serviço está disponível hoje no Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul e se prepara para chegar a São Paulo em março.

Em janeiro de 2019, a startup recebeu aporte (investimento) de 1,8 milhão de reais do Curitiba Angels e outros investidores, conseguindo iniciar sua operação. Hoje seu faturamento é de 185 mil reais/mês, número que vem crescendo cerca de 50% ao mês.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*