Tenente-coronel ressalta possibilidade de existirem outros envolvidos no incêndio da Seinfra

"Cometeu crime aqui em Camaçari, com certeza nós vamos pegar", declarou o tenente-coronel Henrique Melo

Comandante do 12º BPM de Camaçari, tenente-coronel Henrique Melo. Foto: Daniela Oliveira

Após noticiar a prisão de cinco pessoas na noite desta segunda-feira (13) acusadas de atearem fogo na Secretaria de Infraestrutura de Camaçari (Seinfra), e divulgar entrevista exclusiva com a delegada da 18ª Delegacia Territorial (DT – Camaçari), Taís Siqueira, sobre o caso, a reportagem do Bahia no Ar também conversou, na manhã desta terça (14), com o tenente-coronel do 12° Batalhão da Polícia Militar (BPM – Camaçari), Henrique Melo, sobre a prisão dos autores confessos e dos possíveis rumos da investigação a partir de agora.

O tenente-coronel afirmou, em conversa com o radialista Roque Santos, durante a primeira edição do programa Bahia no Ar, que a Polícia Militar trabalhou em parceria com a Polícia Civil durante o processo de apuração do incêndio criminoso. “Nós atuamos de forma integrada, identificamos os possíveis suspeitos junto com a 18ª Delegacia e, no momento certo, fizemos a condução”, contou.

A possibilidade de outras prisões serem efetuadas mediante a identificação de novos envolvidos no caso não foi descartada pelo tenente-coronel Henrique. “No decorrer das investigações podem surgir novos envolvidos, tendo em vista que foi um crime realizado para encobrir outro crime. Esses tipos de criminosos, não esboçam reação quando são presos e geralmente entregam os outros envolvidos”, explicou.

Henrique Melo reafirmou o compromisso de atuar, enquanto autoridade policial a frente do 12° BPM, na repressão do crime em Camaçari. “Quem comete o crime, mais cedo ou mais tarde vai ser preso. Cometeu crime aqui em Camaçari, com certeza nós vamos pegar”, declarou.

Leia também: