Coronavírus: Bahia adquiriu 1 milhão de comprimidos de hidroxicloroquina e azitromicina

Foto: Reprodução

Na manhã desta quinta-feira (9), o secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, informou que o Governo da Bahia adquiriu cerca de um milhão de comprimidos dos seguintes medicamentos: a hidroxicloroquina e a azitromicina.

Segundo o secretário, em entrevista concedida à TV Bahia, a medida visa proporcionar que os médicos prescrevam os remédios para todos os pacientes graves infectados pelo novo coronavírus (Covid-19), que estejam internados em hospitais da rede pública do estado. No entanto, ele afirmou também que a rede privada pode ser assistida, em caso de necessidade.

Para os pacientes infectados pelo vírus, mas que não têm necessidade de internação, não será realizada a administração da hidroxicloroquina no tratamento, conforme explicou Vilas-Boas: “Não é um medicamento para uso ambulatorial, mas sim para uso hospitalar”, disse.

Ontem (8), Fábio Vilas-Boas já havia anunciado que o Governo do Estado iria liberar, mediante prescrição médica, o uso da associação dos medicamentos hidroxicloroquina e azitromicina para pacientes internados no Sistema Único de Saúde (SUS) com diagnóstico positivo para Covid-19. Veja aqui.

A deliberação ocorreu durante reunião da comissão científica criada pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) para analisar as evidências científicas envolvendo o novo coronavírus.

Opiniões

Entre a comunidade científica, o uso dos medicamentos em questão, para o tratamento do novo coronavírus, ainda não atua em uniformidade. Até o momento, as pesquisas feitas não apresentaram evidências suficientes que comprovem que as substâncias realmente são eficazes contra a o vírus.

Hidroxicloroquina (Brasil)

Na noite da quarta-feira (8), em um novo pronunciamento em rede nacional de rádio e TV, Bolsonaro assegurou que o Brasil irá receber da Índia, até sábado (11), matéria-prima para produzir a hidroxicloroquina, remédio utilizado para tratamento experimental da Covid-19 e também usado no tratamento de doenças como malária, lúpus e artrite. As informações são da Agência Brasil.

O presidente afirmou que, nos últimos 40 dias, após ouvir médicos, pesquisadores e chefes de Estado, passou a divulgar a possibilidade de tratamento da covid-19 desde a fase inicial da doença. Bolsonaro citou a conversa com o médico cardiologista Roberto Kalil que afirmou que usou o medicamento e também o prescreveu para dezenas de pacientes.

Nas redes sociais, as postagens sobre o medicamento estão sendo realizadas de maneira constante pelo presidente. Ainda na quarta-feira, por exemplo, ele publicou um vídeo da imunologista e oncologista, Nise Yamaguchi. Na gravação,  a profissional aparece falando sobre o uso da hidroxicloroquina no tratamento do novo coronavírus.

Yamaguchi é diretora do Instituto Avanços em Medicina, situado na região da Bela Vista, em São Paulo, e especializado em tratamento de câncer.

Veja o vídeo compartilhado por Bolsonaro no Instagram:

Casos na Bahia

Nas primeiras horas desta quinta-feira (9), a Bahia tinha confirmado mais de 510 infecções pelo novo coronavírus, além de 18 óbitos pela doença.

Ademais, 128 pacientes estão recuperadas e 50 encontram-se internados (28 em Unidade de Terapia Intensiva – UTI). Outros 3.404 casos suspeitos foram descartados.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*