Mancini cobra dívida do Vitória e quer legislação mais dura para proteger técnicos: “Ainda não recebi um real”

O clube reconheceu a dívida e prometeu resolver

Desligado do comando técnico do Vitória no final de julho, Vagner Mancini afirmou que ainda não recebeu nenhum valor referente a rescisão do seu contrato. Mancini é vice-presidente Federação Brasileira dos Treinadores de Futebol (FBTF), defendeu mudanças na legislação para proteger os técnicos.

“Então, o contrato é por tempo determinado, só que ele não é respeitado, porque nós não temos uma legislação atuante, né? A Lei do Treinador, ela é de 1993 e ela tá defasada. Nós entramos com um projeto que está em Brasília, já passou por algumas fases já foi aprovado em algumas comissões, mas ainda falta uma terceira para, depois, ir para o Senado, pra virar lei, né. Então, o caminho ele é longo, ele é difícil, porque as coisas não acontecem da forma como todos nós esperamos aqui no Brasil, infelizmente. Então a nossa legislação, ela precisa ser melhor regulamentada e eu vou citar exemplos. Se um clube de futebol, hoje, manda embora um atleta, ele tem que pagar 50% do que falta do contrato do atleta, isso não acontece para o treinador. Em algumas situações acontece, quando o treinador tem a capacidade de ter um departamento jurídico ou um advogado que consiga fazer bem feito o contrato, tá? O que é que, novamente, acontece: lá fora, na Espanha, na Inglaterra, na Alemanha, que são países mais desenvolvidos que o nosso nesse tipo de legislação, o clube demite o treinador e, enquanto ele não acertar com esse treinador, ele não pode apresentar um novo treinador. Aqui no Brasil, teoricamente, deveria ser assim. No estado de São Paulo, a Federação Paulista já colocou no regulamento da competição dela que isso aconteça e vem tendo êxito nisso. A CBF tá tentando fazer isso daí também, mas não consegue, porque os clubes não aceitam, então vai ter que ser uma imposição da CBF. E, aí, nós estamos pressionando a CBF também para que faça isso e eu vou te dar um relato aqui, que é meu. Eu saí do Vitória no final de julho e ainda não recebi um real daquilo que é meu direito, né, da multa contratual, daquilo que foi acerto que fizemos, do destrato que foi feito, então é muito difícil a gente ser respeitado, assim como o atleta é, o atleta tem a legislação a seu favor, né, e, infelizmente, a nossa está muito defasada”, disse em entrevista ao programa Band Esporte Show, da Rádio Bandeirantes de Porto Alegre (RS).

Por meio de sua assessoria de imprensa, o Vitória se pronunciou sobre o assunto. No comunicado, o clube reconheceu a dívida e prometeu resolver a situação internamente. “Há o débito sim e o clube está resolvendo essa situação internamente”.

6 Comentário

  1. Quer comparar brasil , com paises de primeiro mundo, aguarde que agonia e essa o cara que ganha salário mínimo sai não recebi vai pra justiça fica lá 10 , 15 anos as vezes não recebi dependendo desse dinheiro pra tudo , você e rico ganha muito pode esperar não vai ter aperto em nada.

  2. Um cara desse que fez um papelão no campeonato baiano quer falar em direito,impor ao clube a permanencia do treinador mesmo com prejuízo para o clube.quem paga seu servico tem direito de dizer que nao quero mais,cabe ao tecnico colocar em contrato a multa, sem contar que quando é eles que rompem o contrato pra trabalhar em outro clube

  3. Mancini, o especialista em palavras bonitas para justificar derrotas. Este rapaz acabou cpm o Vitoria com seu estilo enganador, trouxe um caminhão de pernas de pau para o time; tecnico de panelinha; responsável pelo desastre do Vitoria, junto com este Presidente nefasto e incompetente. Mancini devia ter a dignidade de pedir para sair e acertou com seu amigo Presidente para ser mandado embora, a fim de pegar multa indenizatória. Esta é a situação deste clube nas mãos de um falso Dirigente destruidor. Mancini não vale nada.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*